Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

31
Mai20

Maio, mês do automóvel

despesas carro.jpg

 

Existe o dia dedicado a tudo e mais alguma coisa, quer seja nacional ou internacional, e por aqui declaro que Maio é o mês do meu automóvel.

Ao longo de Maio as despesas com o veículo começam a cair do início ao fim como se tivessem a desfilar em frente à conta bancária como que a dizer... «Queres? Então paga!». Apareceu o Seguro, cujo pagamento é feito por duas vezes ao longo do ano, o Imposto Único de Circulação, a mudança de óleo e a Inspeção com tudo aprovado. Despesas e mais despesas, euros e mais euros a saírem da conta, um lay-off a permanecer por mais uns tempos e um carro que parece que come à mesa connosco em certas alturas fixas do ano e outras vezes de forma inesperada. 

 

30
Mai20

Mais um mês de lay-off

lay off.jpg

 

Maio está a chegar ao fim e Junho prestes a começar, mês em que o local de trabalho volta a abrir portas. Porém, aqui o rapaz irá ficar mais um mês em casa porque nem todos vamos ser chamados para não ficarem pessoas a mais a trabalhar, para mais com horário reduzido, ficando assim a equipa dividida no regresso.

Como fui o último a entrar em lay-off também serei dos últimos a regressar ao trabalho, voltando somente no início de Julho, numa troca com os que forem agora assumir o posto. Por um lado estou cansado de ficar em casa, por outro e uma vez que andei adoentado por umas semanas longas neste período, também não me importo de mais umas semanas de pausa forçada, regressando quando já tudo estiver a funcionar e alinhado. 

29
Mai20

Em 2020 vamos ter Feira do Livro de Lisboa

feira do livro lisboa 2020.png

 

A tradição dita que a Feira do Livro de Lisboa aconteça nas últimas semanas de Maio e início de Junho. Este ano com o Coronavírus a atacar o país muitos eventos foram adiados e outros cancelados. No caso do maior evento literário da capital o adiamento aconteceu e agora já se sabe que o mesmo se irá realizar em simultâneo com a Feira do Livro do Porto. 

Em Lisboa a feira literária irá ter o seu início a 27 de Agosto e no Porto a 28, ambas ficando até ao dia 13 de Setembro, exigindo uma organização mais complexa por parte de expositores, autores e até mesmo de leitores que por vezes visitam os dois eventos, mesmo com a distância territorial. 

Como habitualmente, a nossa Feira do Livro de Lisboa irá receber todos os visitantes no Parque Eduardo VII para a sua 90ª edição, desta vez com todas as medidas necessárias de distanciamento e precauções para com as novas regras para com a pandemia. Neste momento as inscrições para as participações já estão a decorrer, mas não me parece que se consiga suplantar os números dos últimos anos para se obter de novo a maior Feira do Livro de sempre. A conjuntura atual deverá fazer com que editoras mais pequenas acabem por perder espaço e não tenham capacidade para se afirmarem, infelizmente. O mercado está complicado, todos nós estamos a sofrer alterações nas vidas privadas e profissionais e muito não será como antes.

28
Mai20

Cansaço no final da quarentena

cansado.jpg

 

Os meus últimos dias de quarentena têm sido tão animados que quase nem me atrevia a contar.

De forma resumida... Passo a maioria dos dias em casa, sem praticamente colocar os pés na rua, nem na varanda, e quando vou a algum lado é tudo feito de forma rápida para que não me demore. Geralmente acordo uma ou duas vezes de noite, logo após adormecer e depois um pouco antes do sol nascer, parecendo que já dormi o suficiente e que o dia não amanhece para mais um dia igual ao anterior. Deito cedo e cedo ergo, pouco saio de casa e quando o faço é de forma rápida, que final de quarentena é este?

As próprias rotinas em casa estão a passar ao lado. Pensei que por ter mais tempo livre iria ver mais séries, o que não tem acontecido, depois os livros a que não tenho dedicado tantas horas como pensava. Existem alterações em casa e várias situações para serem resolvidas e na verdade não apetece despachar nada. Na verdade sinto peso e cansaço, de forma a quebrar a capacidade de reação neste momento, querendo, mesmo com receio, voltar ao trabalho. 

27
Mai20

Paciência que falta

paciência.gif

 

Dois meses em casa, várias semanas doente, outras tantas a meio gás e o estado de paciência já esteve alto, tendo deixando de existir para voltar de novo e agora, quando Junho se começa a aproximar, parece que a mesma paciência que andou a faltar se foi de novo. 

Neste momento, em finais de Maio, sinto-me cansado destes dias monótonos, mais caseiros, com saídas precárias para o passeio higiénico e uma compra ou outra. Sinto falta de ir trabalhar, mas sei que quando for chamado para marcar presença rapidamente voltarei com a palavra atrás e pensarei em como estava bem por casa. Sei que irei voltar ao trabalho com vários receios e esse fator irá mexer com o meu psicológico logo nos primeiros dias e que não será fácil voltar a uma suposta rotina porque estarei sempre com a ideia que ao andar mais fora de casa que poderei ficar bem perto do Covid19 e consequentemente passar o vírus para os outros sem ter noção do mesmo.