Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

20
Abr16

A Rainha de Tearling

O Informador

a rainha de tearling.jpg

Autor: Erika Johansen

Data: Abril de 2016

Editora: Editorial Presença

Número de páginas: 400 páginas

Classificação: 3 em 5

 

Opinião: A Rainha de Tearling é daqueles livros que cruzam imaginação com realidade num mundo criado com recurso à inspiração no que existe. Existirá limites na criação que uma pessoa apresenta aos outros? Nada!

Na luta entre o bem e o mal existe Kelsea, a rainha que aos dezanove anos descobre o poder deixado por sua mãe com quem só nos primeiros momentos de vida viveu. Criada longe da grande fortaleza onde iria reinar uns anos depois, Kelsea, a protagonista da história consegue crescer com as lições do que lhe espera no futuro. Completa a idade para assumir o seu lugar, a guarda da rainha vai ao seu encontro, praticamente de surpresa, para que comece a grande aventura da sua vida. Mas será que Kelsea conseguirá sobreviver perante tanta oposição que lhe vai sendo colocada pela frente, dentro e fora do seu reino? Como é que uma jovem herda um trono do qual não esteve próxima e do qual pouco sabe? Uma verdadeira aventura onde a luta, os sacrifícios e a acreditação vão acontecendo, com a auto confiança a crescer de dia para dia perante um povo que aos poucos também começa a acreditar na nova figura reinante que os lidera. 

Embrulhado em mistério, curiosidade, suspense e fantasia, a trilogia de A Rainha de Tearling consegue conquistar ao longo da sua leitura, criando de imediato uma ligação entre a figura reinante que é apresentada de forma simples e direta sem nada ficar por contar. Ao longo da narrativa outros são os personagens que vão ganhando destaque e que com uma também boa caracterização conseguem seguir com o leitor que entra no reino de Tearling para cruzar corredores, entrar nos salões e enfrentar as terras longíquas onde a luta pelo poder da sobrevivência é necessária. 

Criado de forma simples e contado de modo viciante, esta obra consegue baralhar o leitor que só percebe que está perante um mundo que não existe quando os locais percorridos são mencionados, tal como a magia e poderes pessoais de algumas personagens. Tudo bate na perfeição com o que poderia ter acontecido por outros tempos em alguma parte do mundo que já viu grandes e intensas guerras acontecerem pela liberdade de um povo que simplesmente quer ter o que merece. Será uma pessoa capaz de alterar o rumo da situação quando tudo e todos parecem dispostos a deixar-se levar pelo que está feito, mesmo estando contra os seus ideais?

A Rainha de Tearling é uma narrativa ambiciosa e com uma boa história que vai ao encontro do mundo criado em A Guerra dos Tronos, porém com menos reinos, com uma menor carga dramática e centrada somente numa personagem, a grande Kelsea, o que facilita a leitura!

 

Sinopse: Durante dezoito anos, o destino de Tearling ficou nas mãos do Regente, manipulado pela Rainha Vermelha, uma feiticeira implacável que governa o reino vizinho de Mortmesme. Porém, Kelsea Glynn, sobrinha do Regente, é a legítima herdeira do trono. Quando completa dezanove anos, está pronta para reclamar o que é seu - e assim regressa do exílio com o objetivo de tornar Tearling um reino livre de pobreza, opressão e escravatura. Mas Kelsea é jovem, ingénua e cresceu longe da corrupção e dos perigos que assolam o reino. Cedo lutará pelo trono e pela própria sobrevivência, num caminho de crescimento em que aprende a lidar com uma herança muito pesada.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Comentários recentes

Pesquisar

Atual Leitura
Top mais vendidos Wook