Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

29
Mar13

Vencedores do Passatempo - A Culpa

O Informador

29-03-2013O Informador lançou, em parceria com o Teatro Ponto Al, o passatempo, com três bilhetes duplos, para a peça A Culpa que está em cena no Teatro A Comuna. Agora chegou a vez de revelar o nome dos vencedores que vão poder estar no próximo Sábado na plateia a assistir a este espetáculo bem desconcertante da autoria de Peter Pina que se cruza em palco com Margarida Moreira e Ricardo Barbosa.

Tal como pode ser visto na imagem apresentada em cima, os vencedores deste passatempo foram escolhidos através do sistema random.org, que me forneceu assim os números 1, 8 e 9. Traduzindo estes números pelos nomes, pela ordem em que os comentários foram deixados no texto do passatempo, eis o nome dos três vencedores dos bilhetes duplos...

Joana Isabel Guerreiro Marques

Diogo Rosa

Sónia Maceira

Parabéns aos três vencedores que Sábado, dia 30, pelas 21h30, vão estar no Teatro A Comuna a ver a peça A Culpa. Peço que me enviem os vossos dados para o email geral@oinformador.com e deixo já aqui a informação que os três só terão que apresentar o comprovativo dos seus nomes na bilheteira do teatro para poderem levantar os seus bilhetes.

Bom espetáculo para todos e um Obrigado especial ao grupo Teatro Ponto Al por esta colaboração com O Informador!

A Culpa

SINOPSE - A CULPA

A história da viagem de uma mulher aos corredores da sua mente. Uma mulher decide enfrentar o seu lado negro, à procura das respostas da sua culpa. Uma reflexão sobre a mentalização da culpa e a conquista da desculpa, como um processo doloroso, que implica várias etapas.

Uma análise de um sonho, que se confunde com a realidade, na qual a culpa tenta ser sublimada e posteriormente desenhada pela consciência. Um labirinto pelo qual, inicialmente vai encontrando os culpados da sua dor. Portas que ela abre e fecha, tropeçando na história do seu filho, do seu amante e do seu marido.

Um caminho que ela percorre, num sentimento misto, entre a tristeza e a revolta, inerente ao ser humano, fazem-na direccionar a culpa para si mesma. No fim do processo, confronta-se e entende a verdade, acordando para uma cura de lucidez, aceitando que de facto a culpa não existe.

“A culpa não é de ninguém. A culpa é da vida. A culpa é do destino.”

Texto e Direcção artística: Peter PinaIntérpretes e criação: Peter Pina, Margarida Moreira e Ricardo BarbosaDesign e Vídeos: Tiago SantosFigurinos: Luiz Gonçalves Luz: Henrique Moreira Produção: Teatro.ponto.al / AM’ART

Local: Teatro A Comuna – Praça de Espanha, Lisboa

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

young-adult-50-mrec

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Comentários recentes

Pesquisar

Atual Leitura
Top mais vendidos Wook